"Se V. possui uma renda tenerife antiga, achou um bastidor ou uma toalhinha no baú, compartilhe essa preciosidade com outros interessados e rendeiras. Entre em contato conosco para obter com o mediador as instruções para ser co-autor do MUSEU VIRTUAL e fazer um post com sua peça. Ou mande a foto que faremos a postagem em seu nome"

"Si tiene un antiguo encaje de tenerife, has encontrado un cojin o un mantelito en el baúl, comparta esta joya con encajeras y otros interesados. Póngase en contacto con nosotros para obtener las instrucciones con el mediador y hacer un "post" con su pieza como coautor del MUSEO VIRTUAL. O envia una foto que se publicará en su nombre."

"If you have an old tenerife lace, found a rack or a small doillie in the family chest, share this preciousness with other parties concerned and lace-making. Please contact us to obtain with the mediator the instructions to be co-author of the VIRTUAL MUSEUM and make a post with your play. Or send us a photo and we will make posting on your behalf."

sábado, 16 de setembro de 2017

Do acervo de Annick Sanjurjo

A peça de Corrientes, Argentina, dos anos 1950 consta do livro Ñanduti, Encaje Paraguayo, de Annick Sanjurjo, a mais exaustiva obra sobre o assunto. 
Falei dele quando do lançamento da 3ºedição e a tradução para o ingles (AQUI) . Pode pode ser comprada na Amazon.



domingo, 3 de setembro de 2017

Renda Tenerife em S.Paulo nos 1950-60.



Da. Isabel Martinez Garcia (1906-1998 morava perto de Da. Elvira Manetti (que foi objeto de post de 13/08/2013) no Alto de Santana, S.Paulo, e fazia “nhanduti” profissionalmente, atendendo principalmente encomendas. Ela teria aprendido com a filha mais velha, Felicia, que, por sua vez, aprendeu com uma senhora que morava no bairro, Da. Rosinha.
“Quando nos éramos crianças ela colocava a gente para fazer esses módulos pequenininhos (rs...rs...). Ela montava a teia e a gente preenchia ... depois ela ensinou a gente a montar a teia” narra Arlete, filha caçula de Da. Isabel. “Éramos 4 mulheres e 3 homens e minhas irmãs ajudavam minha mãe. “Acho que é possível que Da. Elvira também tenha aprendido a fazer nhanduti com Da. Rosinha. Essa senhora morava numa casa mto grande do lado da Igreja Salete. Eu acho que é possível que tenham aprendido juntas...




Da.Isabel





Arlete

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Renda Tenerife em Hvar, Croácia

Na Croácia a Renda Tenerife está presente em Hvar, tecida com fio de agave, e em Sikirevci, em Slavonia feita de fio de algodão. O video foi gravado no Museu Etnográfico de Zagreb por ocasião da exposição "Praise the Hand - Lacework in Croatia".


 
                   


fonte: www.crofilm.hr "UNESCO - Hvarska čipka"

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Nhanduti nos anos 40-50 no Brasil



Na cidade de Socorro-SP, nos anos 1940-50, a renda tenerife foi objeto de intensa vida econômica. O nhanduti, como é mais conhecido lá, foi levado à cidade por Da. Rosalina de Faria Vita (1896-1970) e a sua prática como geradora de renda foi incentivada especialmente por sua filha, Da. Gladyz Vita de Araújo (1924-2017), tendo sido fonte de renda para um número enorme de habitantes até perto de 1970. 
Fomos lá recolher um pouco desta história e encontramos a neta e filha dessas precursoras, 
M. Fernanda Vita e outras lideranças e artesãs da cidade animadas em colaborar.
Agradecemos o acolhimento!




Maria Fernanda e peças da renda que serão doadas ao Espaço do Artesão

Peça "mostruário" de Da. Gladyz Vita de Araújo



Toalhinha de Da. Rosalina Vita




sábado, 17 de junho de 2017

Joyas del Museo del Encaje de Tordesillas




Clique na palavra CATÁLOGO
para acessar um bom texto (em espanhol) sobre a renda na Espanha, com destaque para os SOLES DE SALAMANCA, ancestral das Rosetas Canárias e da n/Renda Tenerife, que teriam sua origem na região de Castilla Y León.

sábado, 10 de junho de 2017

EBAY: A DEEP UNUSED VICTORIAN NANDUTI SILK LACE BERTHA COLLAR

VENDIDA PELA EBAY UK EM MARÇO/2017
A deep Victorian hand made Nanduti or sol lace, silk bertha collar.  The collar has a variety of motifs, all worked in a delicate, champagne coloured silk thread.  The collar is 52 1/2" (133.5cm) around the neck edge and 9 1/2" (24cm) deep.  It is in very good unused vintage condition and looks like it has only just be made.