"Se V. possui uma renda tenerife antiga, achou um bastidor ou uma toalhinha no baú, compartilhe essa preciosidade com outros interessados e rendeiras. Entre em contato conosco para obter com o mediador as instruções para ser co-autor do MUSEU VIRTUAL e fazer um post com sua peça. Ou mande a foto que faremos a postagem em seu nome"

"Si tiene un antiguo encaje de tenerife, has encontrado un cojin o un mantelito en el baúl, comparta esta joya con encajeras y otros interesados. Póngase en contacto con nosotros para obtener las instrucciones con el mediador y hacer un "post" con su pieza como coautor del MUSEO VIRTUAL. O envia una foto que se publicará en su nombre."

"If you have an old tenerife lace, found a rack or a small doillie in the family chest, share this preciousness with other parties concerned and lace-making. Please contact us to obtain with the mediator the instructions to be co-author of the VIRTUAL MUSEUM and make a post with your play. Or send us a photo and we will make posting on your behalf."

24 de jan de 2019

COMO FAZIAM


Sempre tive curiosidade sobre essa peça. Agora que consegui comprar uma pro acervo Nhanduti de Atibaia entendi tudo!  Trata-se de uma peça que deve ser colocada sobre uma almofada ou cojin. Cojin é o nome da almofada em que as Rosetas de Vilaflor, das Ilhas Canárias, são tecidas, Roseta que é provavelmente a ancestral de muitos dos "Soles" que  hoje se encontram espalhados pelo mundo.  
É bem possível que essa ferramenta tenha sido inspirada nos cojins das Canárias e já explico a razão. Primeiro, deixe-me dizer que a peça data do início do século XX, informação que pode ser recolhida em jornais e manuais da época já que foi patenteada em 1903 (registrado no verso) . Mede cerca de 6,7 cm de diâmetro, é abaulada de um lado e achatada ou plana no verso, e me parece ter sido feita em galalite*. Ela deve ser adaptada a uma almofada dura e nele adquire sua função de guia em que os alfinetes serão inseridos para montar a teia ou urdimento radial, típico da família das rendas da família das Renda Sol ("Soles"). 
Montagem do urdimento radial no Proctor Teneriffe Lace Wheel




Abaixo temos a foto de um cojin atual de Tenerife, presente da curadora Milagros Amador do Museu de Artesania Iberoamericano de Tenerife.  A parte superior tem uma peça de couro cuja função é exatamente estabilizar os alfinetes em que o urdimento que formará o módulo serão colocados. 



Cojin da Ilha de Tenerife
Temos aqui outra almofada de Rosetas, um cojin da Ilha de Lanzarote, presente da Mestra Rendeira Macarena Arrocha Arraez,  que traz na sua parte superior, com a dupla função de  estabilizar os alfinetes e servir de guia para os alfinetes que suportarão o urdimento radial, uma peça de metal exatamente a função do Proctor Tenerife Lace Wheel. 

Cojin de Lanzarote da segunda metade do Sec.XX

Quero aproveitar  a oportunidade para através desra postagem agradecer Milagros Amador, do Museu de Artesania  Iberoamericano de Tenerife pelo cojin  e pelo constante acolhimento; e, Macarena Arrocha Arraez , rendeira de Lanzarote, Canárias, que me honrou com este cojin que pertenceu a sua mãe que também era "tejedora" de Rosetas. São agradecimentos que sei que nunca serão suficientes pelo tamanho da generosidade.

Finalizando, há alguns anos atrás localizei e deixei em meus arquivos estas "prints" da web que mostram que também existia o "instrumento" Proctor Teneriffe Square, ou seja, em formato quadrado.

parte de anuncio ou folheto de venda do Proctor Wheel- inicio 1900

Proctor Teneriffe Square (fonte:WEB)


Proctor Teneriffe Square (fonte:WEB
* GALALITE é o nome comercial de um dos primeiros plásticos. Foi inventado em 1897 e patenteado em 1899 . Este material revolucionou a indústria de botões com a sua capacidade de criar efeitos estruturais e imitar todo o tipo de material: chifre, tartaruga, marfim, madeira, etc. Também foi usado nos anos trinta para jóias, canetas, alças de guarda-chuva, chaves de piano brancas, etc.


1 de jan de 2019

Á venda na Etsy (hoje)

Vintage lace tablecloth, Teneriffe needle lace, Spider lace, Victorian decor, Ecru 34 inch square, Table linen, Wedding cloth, Dresser scarf






Description

Vintage lace tablecloth. Hand worked Teneriffe needle lace with spider lace trim and center accents. Great for Victorian home décor. This table linen is an ecru color, 34 inch square. The fabric is either linen or cotton and the needlework is cotton. This antique tablecloth would be great for weddings, dining table centerpiece, piano throw or dresser scarf.

This piece is in great condition for it's age. There are a couple places where the threads have come loose and 2 small stains in the center. I haven't tried to wash this cloth to see if the stains will come out. See the detailed pictures. Still has plenty of life in it and is a beautiful piece of needlework.

20 de dez de 2018

Museu Virtual da Moda da Catalunha

"La memoria de una sociedad no se encuentra sólo en las grandes hazañas, sino también en objetos tan cotidianos como el vestido"



O Museu Virtual da Moda da Catalunha é uma plataforma online que reune centenares de peças de vestir históricas das coleções públicas de todo el território catalão, documentadas primorosamente por especialistas. Explore-o! Clique AQUI.



11 de dez de 2018

El Ñanduti del Paraguay





Dr. Gustavo González, médico e investigador da cultura paraguaio, antecessor do que atualmente conhecemos como "antropólogo" e onde este lindo vídeo colheu informações, se dedicou a pesquisar a Renda Nhanduti depois de conhecer as peças da Renda pertencente ao Museu Nacional coletada pelo brasileiro Edgar Roquette-Pinto.
Em 1935, Gustavo Gonzáles viu e se emocionou com as peças da Renda Paraguaia expostas numa vitrine no Museu de História Natural do Rio de Janeiro juntamente com o texto de Roquette-Pinto "El ñanduti del Paraguay".
Roquette-Pinto foi o primeiro homem de ciência a escrever sobre a renda paraguaia que conheceu em sua estadia em Assunção, onde deu aulas na Faculdade de Medicina em 1921. Seu texto, que contém uma espécie de análise antropológica dos padrões re-criados sobre a renda de origem européia foi publicado no Boletim do Museu Nacional em 1927.
A coleção de renda se queimou no incêndio do Museu Nacional deste ano de 2018.


+ info em postagens anteriores deste Museu Virtual da Renda Tenerife:

5 de dez de 2018

Fios que fluem, águas que enlaçam: têxteis da região guarani


Exposição de têxteis da região guarani no Museu da História do Traje de Buenos Aires com  curadoria de Carolina Urresti, responsável pela Guarani Porã, espaço que trabalha na difusão e comercialização das manufaturas de origem guarani em Buenos Aires. 

Na extensão territorial que hoje Paraguai, Argentina, Uruguai e parte do sul do Brasil desenvolveram-se diversas práticas têxteis ancestrais, que constituem patrimônio material ao formar uma peça tecida, e também, imaterial, na medida em que seu conhecimento é transmitido oralmente. 


Peça emprestada por Carola Besasso que pertenceu a Venancia Tray, mulher de Guillermo Stewart que foi médico de  Francisco Solano Lopes



+info: La Nación

Conheça o mapa digital do Território Guarani

25 de nov de 2018

Museu de Renda de Tordesilhas



Desfrutei durante 15 dias (pouc, muito pouco!) em outubro p.p. do Museu da Renda de Tordesilhas e de aulas com Natividad Villoldo, criadora e fundadora do Museu, onde fiz um curso de Rendas Históricas no Centro Didático de Renda de Castela e Leão. O Centro funciona no Museu de Renda onde Naty conseguiu reunir um grupo de “experts” que aprenderam e aprendem com ela as rendas tradicionais da região e fazem verdadeiras obras de arte com agulhas, linhas, bilros e muita, mas muita História. 
Apaixonada pela história do tecido e pelas técnicas de tecelagem, Natividad Villoldo há quase 20 anos criou o Museu de Renda de Tordesilhas com o objetivo de trazer à luz e dar destaque às rendas e bordados históricos dos séculos XVI e XVII de Castilla e León, fase de esplendor da Espanha, que se encontravam em extinção.
Incansável, Naty atualmente vive entre dois museus, já que criou uma filial do Museu de Tordesilhas numa pequena vila de Villar de Monte, em Cabrera, onde vem reabilitando antigas casas tradicionais para converte-las em um museu etnográfico, em um museu a céu aberto.
Conheça mais :
Minha vida é entre as rendas de Tordesilhas e a arquitetura de Cabrera

Museu de Tordesilhas




Copyright © MUSEU VIRTUAL DA RENDA TENERIFE.Todos os direitos reservados - All Rights Reserved.
Nhanduti de Atibaia